Projeto executado pela Seduc, a revisão intensiva para o exame nacional está beneficiando estudantes em várias regiões.

O Projeto Enem Pará Itinerante chegou neste sábado (13) em Santarém, no Oeste do Estado. Mais de 200 estudantes participaram da revisão intensiva, com “dicas e macetes”, para melhorar o desempenho nas provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, que ocorre nos próximos dias 21 e 28 de novembro. O projeto executado pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) já beneficiou mais de 06 mil pessoas em todas as regiões.

A aluna do 3º ano do ensino médio Vitória Silva pretende cursar Arqueologia, e disse estar muito ansiosa para o exame nacional. “Todos os alunos do 3º ano estão muito ansiosos. Eu, particularmente, estou achando ótimo. Nós não temos condições de pagar um cursinho particular. Eu acho que esse preparatório todo será muito proveitoso. No dia, nós temos aulas monótonas, mas aqui não; temos dicas. Ajuda a gente a compreender com mais facilidade as matérias, além do humor dos professores, que deixa tudo mais leve, principalmente nesta reta final”, avaliou a estudante.

Além de Santarém, outros municípios recebem o intensivão neste sábado. Em Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, a Usina da Paz (UsiPaz) do Icuí-Guajará reuniu mais de 150 alunos. Em Marabá, no Sudeste, cerca de 200 alunos se reuniram no Centro Universitário Pitágoras, na Rodovia BR-230 (Transamazônica). As aulas foram ministradas até as 12 h, com as disciplinas Redação, Biologia, Geografia e Química. Em Curralinho, no Arquipélago do Marajó, 170 estudantes aproveitaram o sábado para revisar as últimas matérias. O aulão ocorreu no auditório da Escola Lindalva Pinho, no bairro Centro. As disciplinas ministradas foram Química, Matemática e História.

Enem 2021 – Criado para ser utilizado como forma de avaliação da Educação Básica, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) também abrange a missão de ser a força motivadora para transformações no currículo.

Hoje, o Enem tem sua principal importância como porta de acesso ao ensino superior, e busca maior aproximação com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o novo ensino médio.

Por Evaldo Júnior (SEDUC).

Fonte: Agência Pará.

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *