Caso aconteceu por volta das 03h20 da madrugada desta segunda-feira (31), na Escola Terezinha de Jesus Rodrigues.

A vítima que pediu para não ter seu nome divulgado, contou à reportagem da TV Tapajós, que era por volta das 03h20 da madrugada quando foi surpreendido por um indivíduo dentro do terreno da escola, armado com um facão.

“Quando eu me deparei o meliante já estava dentro do terreno da escola. Pedi pra ele sair, mas vi que ele tinha um facão. Ele pedia dinheiro e celular, eu falei que não tinha, mas ele insistiu, e eu pedindo pra ele sair, foi quando ele partiu pra cima de mim e deu umas três investidas acertando na minha orelha e no braço. Eu, vendo o sangue escorrer fiquei transtornado e parti pra cima dele pra me defender. Eu acertei ele com um terçadinho e foi quando ele correu e pulou o muro da escola”, contou o vigia.

Após a fuga do bandido, o vigia acionou seu supervisor que foi até à escola pegar a vítima pra levá-la ao Pronto Atendimento. Ao chegar na UPA, o vigia novamente se deparou com o assaltante que tinha ido à Unidade 24h em busca de atendimento médico em razão do ferimento que sofreu quando o vigia partiu pra cima dele com um terçado.

“Um mototaxista que estava próximo à escola disse que tinha levado um rapaz até próximo da sede do Sinprosan. Ele disse que ia resolver um assunto rapidinho e sumiu. O passageiro era na verdade o assaltante que pulou o muro da escola pra roubar alguma coisa de valor do prédio ou em busca de dinheiro e celular mesmo”, disse o vigia.

Ainda de acordo com o vigia, na UPA o bandido contou uma versão diferente quando foi fazer a ficha da triagem. “Ele disse que se envolveu em uma briga no Aeroporto Velho e que alguém queria roubar os pertences dele, ou seja, ele inverteu a história”.

Essa não é a primeira vez que a escola Terezinha de Jesus Rodrigues é invadida por bandidos. O muro baixo facilita a entrada de pessoas não autorizadas.

Fonte: g1 Santarém e Região e TV Tapajós.

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.