O tempo de espera do paciente no Pronto Socorro diminuiu em 82%.

Encerra a primeira etapa de implantação do Projeto Lean nas Emergências no PSM, em Santarém
Foto: Autor Ascom ISMS

Encerrou hoje, 4 de fevereiro, o primeiro ciclo de implantação do Projeto Lean nas Emergências dentro do Pronto Socorro Municipal de Santarém. A equipe multiprofissional, direção da Unidade, gestores do Instituto Social Mais Saúde e os dois consultores do Hospital Sírio-Libanês participaram de uma videoconferência, onde os resultados dos primeiros seis meses de aplicação das ferramentas foram mostrados.

Os indicadores evidenciaram um resultado positivo na implementação das ferramentas e fluxos no PSM. No slide exibido pela coordenadora de enfermagem Joycineia Assunção, onde a mesma representou toda a equipe, constatou-se que houve redução significativa no tempo de atendimento desde o primeiro mês de atuação.

“Eu fiquei muito feliz em mostrar cada avanço desses seis meses, os dados não mentem. Temos fotos de antes e depois, o importante mesmo foi ouvir dos próprios usuários que a gestão e o atendimento melhoraram ainda mais”, disse a coordenadora.

De julho de 2021 a janeiro deste ano o tempo de espera dos pacientes internados no PSM reduziu em 82% por cento, ou seja, os leitos das clínicas da Unidade passaram a girar de forma mais eficiente. O tempo de permanência dos pacientes em observação reduziu em 36% por cento.

“Essa redução no tempo de espera aconteceu por que toda equipe de médicos, enfermagem, laboratório, farmácia, veículos de transporte, direção e administrativo se envolveram no processo. Claro que houve momentos que achamos que não íamos conseguir manter, não é fácil mudar toda uma cultura de trabalho. Mas o resultado é muito satisfatório, com uma gestão mais eficiente”, disse a diretora geral do Hospital, Christiani Schwartz.

Em julho o PSM internava 5.684 pessoas, em agosto, um mês após a chegada do Lean nas Emergências a redução foi de quase 50%, com a internação de 3.162 pacientes. Os meses seguintes oscilaram, mas não houve mais a mesma marca de acolhimento desde o início do projeto, o número permaneceu abaixo.

Entre as principais ações para que houvesse essa redução, está na padronização do sistema hospitalar, com a contratação do médico 24 horas na sala de trauma, contratação do fluxista para controle e monitoramento do quadro KANBAN, contração dos especialistas Otorrino, Hematologista, Oftalmo e Urologista. Além da abertura da farmácia satélite; implantação do posto de coleta de exames laboratoriais; implantação do Fast track; definição da sala de decisão clínica adulta e pediátrica; implantação do fluxo externo de contra referência da UPA; implantação do prontuário eletrônico;  e organização da sala de procedimentos.

Legenda da foto: Os resultados dos primeiros seis meses de aplicação das ferramentas foram mostrados durante videoconferência.  

Para o médico consultor do Hospital Sírio-Libanês, Guillermo Sócrates, o empenho da equipe foi fundamental. Ele relembrou que nas duas primeiras visitas no PSM encontraram um local superlotado, com pacientes aguardando em cadeira por horas, uma equipe sobrecarregada, mencionou ainda que não existia identificação visual do status de atendimento do paciente.

“Eu me lembro que conversamos com um paciente que estava aguardando 6 dias para pular para próxima etapa do atendimento. Hoje, com essa apresentação é visível que as ferramentas do Lean funcionam, são reais e testadas há décadas. Agora vamos acompanhar de longe, por reuniões online, mas temos certeza que até o final do projeto vamos ter um resultado ainda mais surpreendente”, enfatizou Guillermo.

Os processos aumentaram o giro dos leitos hospitalares, diminuíram o tempo médio de permanência e melhorou a experiência do paciente que passa pelo serviço de saúde.

Processo de implantação

A cada 15 dias, desde o início de agosto, dois consultores do Hospital Sírio-Libanês, um médico e um especialista em processos, vêm até o HMS para acompanhar as implantações das metodologias de gestão, ao qual busca otimizar indicadores de urgência e emergência

O Projeto Lean trabalha para melhorar processos com base no tempo, assegurando fluxos contínuos e eliminando desperdícios e atividades de baixo valor agregado. Nesse período de atividade junto a equipe, houve a prática da ferramenta 5s, que ajuda a criar a cultura da disciplina, identificar problemas e gerar oportunidades para melhorias. A equipe tem realizado diariamente o Huddle, essa ferramenta propõe reuniões de curta duração com equipe multidisciplinar que avalia a gestão da rotina. Além de atuarem em fluxos Fast Track, a definição da Sala de Decisão Médica (Clinical Decision Unit), Teoria de Filas e Teoria das Restrições.

De acordo com a diretora geral, Christiani Schwartz, essa é uma grande oportunidade de mudar o formato de atendimento do PSM. Ela afirma que os profissionais que atuam em setores estratégicos estão totalmente envolvidos e vão aplicar as ferramentas com todos que atuam no Hospital. “Não tenho dúvidas que o projeto Lean vai levar satisfação do usuário, aliás, de toda comunidade hospitalar. Com a participação efetiva dos colaboradores teremos uma mudança cultural de boas práticas”, enfatizou. 

Entenda mais sobre o Projeto Lean 

O Lean nas Emergências é um Projeto do Ministério da Saúde implementado pelo Hospital Sírio-Libanês, para reduzir a superlotação nas urgências e emergências de hospitais públicos e filantrópicos. É uma filosofia de gestão para melhoria de processos baseado em tempo e valor, desenhada para assegurar fluxos contínuos e eliminar desperdícios e atividades de baixo valor agregado. 

Esse projeto faz parte do PROADI-SUS, que é o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde. O PSM vai continuar no projeto até o final deste ano.

Fotos: Autor Ascom ISMS

Fonte: Agência Santarém

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.