A discussão ocorreu na manhã desta sexta-feira, 11, no CIAM.

A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Semtur), participou na manhã de sexta-feira (11), de uma reunião que tratou sobre a estratégia de bioeconomia na região de Santarém.

A ideia do encontro, é somar esforços no desenho da estratégia da região que é considerada o berço da bioeconomia, sociobiodiversidade e turismo de base comunitária.

Participaram da reunião, o Secretário Municipal de Turismo, Alaércio Magalhães Cardoso; Secretária Municipal de Educação, Maria José Maia; o Secretário de Meio Ambiente, João Paiva; a Diretora Regional do Instituto de Pesquisa Ambiental (IPAM), Alcilene Cardoso; o Diretor de Políticas Públicas e Desenvolvimento Territorial do Instituto de Pesquisa da Amazônia, Eugênio Pantoja e duas colaboradoras da Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Semas), Camille Bemerguy e Camilla Miranda. 

Para o IPAM, a visita técnica da SEMAS é de suma importância para ajudar na estruturação de um espaço que conecte com o ecossistema de bioeconomia do Tapajós, onde exista discussões sobre bioeconomia e também sobre o processo de desenvolvimento de uma cultura empreendedora, focada nos ativos ambientais da região, na valorização dos conhecimentos tradicionais, na territoriedade e nas características socioeconômicas da região. “A ideia é que se utilize o espaço da Escola da Floresta em Alter do Chão, como ele é integrador, que irradia esse olhar de desenvolvimento econômico na região respeitando as suas características locais” disse Eugênio. 

A representante do Governo do Estado do Pará, relatou que durante o ano de 2021, várias discussões, com diversas instituições governamentais, não governamentais e setor privado foram realizadas. A fim de debater a criação de uma estratégia de bioeconomia.

Em outubro de 2021, foi publicado um decreto que tratava da construção de um ecossistema de bioeconomia para o oeste do Pará. O documento contemplava uma série de elementos como a educação básica, educação ambiental, criação de um ambiente de negócios, institucionalização de uma bioeconomia e outros critérios que funcionem para o estado, gerando emprego e renda, dentro de uma matriz econômica. “A visita à Santarém e à região do Tapajós é a primeira dentro desse contexto, com o intuito de conhecer as especificidades locais, exatamente para criar uma estrutura que converse com esse objetivo básico de criação dessa nova matriz de economia, o movimento agora é exatamente para criação em primeiro momento e de como trazer esse conhecimento ancestral para levar isso para a construção da biodiversidade dentro do estado do Pará”, pontuou Camille.   

As pastas de Turismo e Educação estão à  frente desse recebimento de investimento e querem trazer uma estrutura de bioeconomia para Santarém. O projeto é transformar o Pará no primeiro estado que tem essa tratativa e o município, acompanhado de Belém, vai está recebendo esses investimentos. “Nossa perspectiva é que seja instalado o mais rápido possível, e que o novo modelo de bioeconomia seja levado para Alter do Chão. Eu, particularmente vejo com bons olhos essa questão de investimentos, porque isso também é turismo, pois ele conversa com 52 atividades econômicas dentro dos municípios e Alter do Chão tem sido protagonista na questão de turismo do estado e do Brasil, já recebendo vários prêmios e apoiando produtores locais que têm um trabalho com mais de 30 comunidades”, encerrou Alaércio.

Fonte: Agência Santarém.

Similar Posts

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.